No Amapá, torcedor do Flamengo dá tiro de espingarda no primo vascaíno após discussão sobre final do Estadual; vítima está em coma

Está em coma o jovem Raoni Almeida Ramos, de 20 anos, que levou um tiro de espingarda, segundo a polícia, disparado pelo primo de 19 anos, que está foragido. O episódio aconteceu no dia 13 de abril, na comunidade de Nossa Senhora dos Remédios, na Zona Rural de Macapá, onde moram. A família da vítima informou que o estudante de direito perdeu um rim e 40% do intestino. O estado de saúde dele é grave.

A mãe do jovem torcedor do Vasco, Maria de Nazaré Almeida, contou que o crime aconteceu depois de os primos terem discutido por causa da final do Campeonato Carioca entre Flamengo e Vasco. O suspeito do disparo é torcedor do Flamengo, segundo Maria de Nazaré.

Local onde o estudante foi atingido na zona rural de Macapá-AP

“Ele [Raoni] nunca fez mal a ninguém. Depois do jogo eles se provocaram normalmente e o primo ameaçou de dar um tiro nele e foi embora aqui de casa, mas nem nos preocupamos”, relatou Casemira da Silva, tia da vítima.

Ela conta que após a partida de futebol, por volta de 18h, Raoni seguia para jogar bola no campo da comunidade quando foi atingido pelo disparo. Ele estava junto a uma prima. “Ele se escondeu no meio de umas árvores e atirou em cima dos dois, e foi para matar, porque os dois são vascaínos, mas o tiro atingiu somente o Raoni”, disse a tia.

O estudante, que cursa o quinto semestre de direito em uma faculdade particular de Macapá, andava todos os dias cerca de 10 quilômetros por um ramal de terra sem iluminação para assistir às aulas, conta a mãe do jovem.

Maria de Nazaré Almeida disse que o médico responsável pelo filho no Hospital de Emergência (HE) pediu apenas para ela esperar. “O ‘doutor’ me alertou sobre o outro rim dele que está parando de funcionar, e uma cirurgia seria necessária, mas talvez ele não resista ao proceidmento e por isso vamos ter que esperar. Meu filho só respira com a ajuda de aparelhos. O tiro também atingiu uma veia, e por isso a circulação do sangue dele não acontece naturalmente. Eu espero por uma causa impossível”, lamentou.

Maria de Nazeré Ferreira, mãe de Raoni

Desde a internação do jovem, colegas de classe do estudante mobilizam uma campanha nas redes sociais para arrecadar doações em dinheiro e alimentos para a família, além de materiais de higiene. “Estamos nos mobilizando porque sabemos o quanto Raoni é esforçado, sempre foi estudioso e dono de uma memória incrível”, disse a colega de turma Ruperlive Nascimento, de 26 anos. (G1)

Postar um comentário

0 Comentários