Preparador físico do Vasco fala da volta dos lesionados e situação de Everton Costa

Daniel Gonçalves- preparador físico do VascoO próximo jogo do Vasco na Série B do Campeonato Brasileiro será contra o Náutico, no sábado, na Arena Pernambuco. O clube pode contra com os retornos do zagueiro Rodrigo, o volante Pedro Ken e o lateral Lorran para o confronto, e o preparador Daniel Gonçalves comenta a fase final de recuperação desses atletas, bem como a situação do lateral Henrique, que fraturou a clavícula:

“Eles estão na fase final de transição, significa que treinarão com bola com o professor Adilson Batista e dependendo da progressão no trabalho com bola ficarão à disposição para o jogo de sábado. O Lorran está também na fase final de transição, deve treinar com bola, como se trata de uma entorse seguida de uma pancada no mesmo local preocupa menos, não é de ordem muscular, a tendência é que ele também se mostre apto. O Henrique ainda está se recuperando de uma fratura na clavícula, e o Rodrigo está na fase final de transição, na semana passada ele teve um desconforto que se caracterizou uma lesão, a tendência é que ele também treine com bola e a partir dessas observações com bola iremos utilizar ou não no jogo de sábado.”

Sobre o zagueiro Rodrigo, Daniel não quis adiantar se ele terá condições de estar no banco de reservas no sábado, e condicionou o retorno do jogador à fase final de preparação que vem desenvolvendo no decorrer da semana:

“Ainda é prematuro afirmar por conta das necessidades não só do Rodrigo, mas do Pedro, do Edmilson, o próprio Lorran, a necessidade que eles têm de progredir nos trabalhos com bola. Temos ainda antes do jogo quatro trabalhos com bola, vai depender da parte técnica, da parte física, que é a parte final de preparação, temos a expectativa de aproveitamento dos quatro para o banco de reservas, titularidade irá depender do Adilson para o jogo de sábado contra o Náutico.”

Já a situação do volante Gui´nazu requer um pouco mais de cuidado e mais tempo de observação,segundo Daniel Gonçalves:

“O Guiñazu está na fase final de consolidação da fratura, uma fratura requer um tempo mínimo de cicatrização do osso e depois que for liberado pelo departamento médico e a consolidação da fratura, ele reiniciará os trabalhos físicos específicos, já que tem feito trabalhos de manutenção da forma física na musculação. Se encontra muito bem, o mesmo peso corporal, mas irá depender das situações de arranque e mudanças de direção que são pertinentes ao futebol. Temos agora uma sequência difícil de jogos sábados e terças, muitas viagens, a gente acredita que o ideal seria a intertemporada que iremos fazer no meio do ano para que ele possa readquirir aquela condição física que ele apresentou no Campeonato Carioca.”

O preparador físico também discorreu sobre a preparação que o Vasco fará na pausa para a Copa do Mundo e como se darão as atividades:

“Vamos ter mais tempo numa intertemporada que numa pré-temporada, fizemos uma periodização no início do ano para que atingíssemos o ápice nos quatro jogos decisivos do Campeonato Carioca, o desempenho foi adequado, tivemos um desempenho superior ao de Fluminense e Flamengo, por um erro da arbitragem não conquistamos o título. Houve uma queda no desempenho, o que era previsto, e essa intertemporada vai permitir que tenhamos uma nova ascensão, visaremos quartas de final e semifinal de Copa do Brasil como período de ápice para que ao atletas tenham desempenho não só para conquistar a Série B, como também atingirmos um potencial de desempenho compatível com as equipes de Série A. Teremos 10 dias de recesso e os atletas serão orientados a fazer atividades para que não fiquem inativos e depois teremos quatro semanas de preparação para o jogo contra o Santa Cruz.”

Daniel Gonçalves finalizou a entrevista concedida à Rádio Manchete falando sobre Everton Costa que deverá ficar afastado do futebol por 6 meses:

“Nossa maior preocupação no momento é com o estado de saúde do Everton, que se recupere bem, que não tenha nenhum tipo de prejuízo na sua vida atlética. Após sua liberação pelos cardiologistas a gente conversará com o departamento médico para traçar uma programação e ver se haverá restrições a algumas atividades. Não temos nenhum tipo de programação para o Everton e nem expectativa de sua utilização, somente que se recupere prontamente para seu estado de saúde e que volte a jogar futebol.”

Fonte: Supervasco

Postar um comentário

0 Comentários