Kléber é absolvido por Loffredo após polêmica: "Fair play não é obrigatório"

O Vasco venceu o Paraná por 1 a 0 no último sábado em São Januário, mas, novamente, o atacante Kléber chamou atenção por conta de um lance polêmico e se tornou o centro das atenções após a partida. Desta vez, o cruzmaltino teria agredido o zagueiro Alisson, e ainda foi acusado de não ter jogado a bola para fora para o adversário receber atendimento médico. Para completar a confusão, o camisa 30 ainda se aproveitou de um escorregão do paranista Marcos Serrato no mesmo lance, e avançou em direção a área adversária até sofrer pênalti. No entanto, para o comentarista André Loffredo, o “Gladiador”, nesse lance, não merece tantas críticas

– A bola estava com o Paraná, e o Paraná já deveria ter colocado essa bola para fora, se quisesse que o seu jogador fosse atendido. E não colocou. Aí o Kléber se aproveitou. O Fair Play não é obrigatório. O lance tem que ser analisado. O zagueiro não tinha que cair para pedir atendimento, porque ele não precisava de atendimento. Ele caiu para tentar provocar um cartão para o Kléber. E, evidentemente, que o Kléber não ia ter fair play com ele – afirmou o jornalista.

Apesar de “inocentar” Kléber nesse lance específico, André Loffredo lembra que, ao contratar um jogador polêmico como o camisa 30 do Vasco, o clube empregador deve saber dos riscos que essa aquisição pode acarretar.

Kléber Gladiador em jogada pelo Vasco, contra o Paraná

– Quem contrata o Kléber, sabe que está levando o pacote completo. Vai ser um jogador que vai brigar pela bola, fazer lances interessantes e que vai arrumar confusão. Mas, precisa analisar direitinho o lance para ver se ele deu um tapa mesmo no zagueiro. Se sim, ele precisa ser punido. No caso de uma agressão não importa a intensidade – concluiu Loffredo.(Globo Esporte)

Postar um comentário

0 Comentários