Técnico do Fla, Vanderlei Luxemburgo entra em polêmica ao comentar caso de racismo envolvendo o goleiro do Santos: "Eu não sou macaco"

Vanderlei Luxemburgo:
Vanderlei Luxemburgo:
Em meio ao calor das discussões sobre o racismo no futebol brasileiro após o episódio vivido pelo goleiro santista Aranha na partida entre Grêmio e Santos pelas oitavas de finais da Copa do Brasil, jogo de ida, em Porto Alegre, na última quinta, o técnico do Flamengo Vanderlei Luxemburgo expôs nesta sexta, em entrevista no CT Ninho do Urubu a visão dele com bastante franqueza.

“Tenho certeza que aquela menina tem alguns amigos negros, não tenho dúvida nenhuma que ela deve ter alguns amigos negros que convivem com ela. Estão tratando o racismo no futebol”, falou Luxa que em seguida tratou de lembrar em relação o episódio semelhante ao vivido por Aranha e que envolveu o atacante Neymar, do Barcelona.

“Aquela época criaram um movimento horrível: – somos todos macacos, eu não sou macaco, porque eu não tenho que ser macaco porque chamaram o Neymar de macaco; somos todos cidadãos e que temos que respeitar os outros cidadãos, eu vejo por aí”, completou o treinador flamenguista que fez críticas ao movimento contra o racismo no futebol e citou situações que acontece em outros esportes.

“Em competições naquelas que não aparecem, de dois a dois, do Mike Tyson brigando com o camarada, ele desestabiliza o adversário chamando o cara de crioulo e ele é preto, ele ofende o cara, chama de viado, de gay para desestabilizar o cara”, encerrou Luxemburgo.

Sob o comando do técnico Vanderlei Luxemburgo, o Flamengo deu sequência nesta sexta a preparação visando o jogo do próximo domingo contra o Vitória, em Salvador. Após perder por 3×0 para o Coritiba a partida de ida das oitavas da Copa do Brasil, o time carioca volta suas atenções para o Nacional. O Flamengo vem de quatro vitórias seguidas e tenta se distanciar do Z-4, que tem o time baiano na lanterna.

Postar um comentário

0 Comentários