Vasco: Chapa aciona Ministério Público e OAB por fiscalização da eleição

Representantes da Chapa “Vasco Campeão” acionaram o Ministério Público e a Comissão de Direito Desportivo da OAB/RJ para que a transparência e lisura do pleito presidencial vascaíno sejam garantidas. Nos documentos, eles pedem que tais instituições enviem um representante como observador externo de todo o andar do processo eleitoral para fim de fiscalização.

Para tal requerimento, Ricardo Seixas Figueiredo, Alexandre Ladeira Pinho Rodrigues e Marcelo Augusto Camacho Rocha, ressaltam alguns pontos, dentre eles, as “denúncias em meio midiáticos acerca de supostas tentativas de fraude”, “existência de um inquérito em andamento na 17ª Delegacia de Polícia Civil do Rio de Janeiro, acerca da possibilidade de tentativa de fraude” e “o número de ações judiciais que no mês de julho do decorrente ano começaram a questionar práticas que tocam ao regular processo eleitoral”.

Chapa aciona Ministério Público e OAB por fiscalização da eleição

Após liminar judicial derrubando o adiamento do pleito, a eleição está marcada para o próximo dia 6, porém, há movimentos na Justiça para que volte a ser dia 11 de novembro, data marcada por Olavo Monteiro de Carvalho, presidente da Assembleia Geral, após decisão administrativa na última sexta-feira.

A 17ª Delegacia de Polícia, em São Cristovão, investiga a suspeita de “mensalão vascaíno”. Entre março e abril do ano passado, houve uma associação em massa ao clube, com muitas matrículas de sócios proponentes repetindo-se em inúmeras fichas de novos sócios. Alguns, inclusive, chegaram a propor 447 novos sócios.

Uma comissão de sindicância interna foi aberta para analisar o caso e um relatório final foi entregue à polícia e ao presidente Roberto Dinamite. Ao tentar localizar estes novos sócios, esta investigação interna encontrou alguns problemas como endereços inexistentes e pessoas que simplesmente se recusaram a receber a carta.

Além disso, há problemas com as listas de sócios eleitores e elegíveis. Na lista de eleitores divulgada pelo Vasco, não há nomes de sócios que estavam em dia e há inúmeros “sócios de abril”, como ficaram conhecidos os sócios que se vincularam entre março e abril do ano passado. Por este motivo, foi pedido a impugnação da lista no mês passado, por Nelson Rocha, candidato pela “Vira Vasco”.
Chapa aciona Ministério Público e OAB por fiscalização da eleição

O caso do “mensalão” veio à tona no fim do ano passado, após denúncias do Grande Benemérito Otávio Gomes. Em abril do ano passado, mais de 3 mil vascaínos se vincularam ao clube. Destes, cerca de 1.700 apenas no último dia do mês, o que levantou a suspeita de fraude.(Lance)

Postar um comentário

0 Comentários